blog desatualizado por tempo indeterminado; editora sem tempo para postar.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Resenha: Enrolados - Clássico Moderno

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


Flynn Ryder (Zachary Levi) é o bandido mais procurado do reino. Um dia, em plena fuga, ele se esconde em uma torre. Lá conhece Rapunzel (Mandy Moore), uma jovem prestes há completar 18 anos que tem um enorme cabelo dourado, de 21 metros de comprimento. Rapunzel deseja deixar seu confinamento na torre para ver as luzes que sempre surgem no dia de seu aniversário. Para tanto, faz um acordo com Flynn. Ele a ajuda a fugir e ela lhe devolve a valiosa tiara que tinha roubado. Só que a mamãe Gothel (Donna Murphy), que manteve Rapunzel na torre durante toda a sua vida, não quer que ela deixe o local de jeito nenhum.



É criativo Dan Fogelman (o roteirista) dar poderes mágicos aos cabelos de Rapunzel; Mas criativo até do quer o conto original. Com certeza Gothel tem bons motivos para prender Rapunzel naquela torre.
Porém, a história de Enrolados não tem a mesma força de um Pinóquio da vida, para entrar no top 10 dos melhores clássicos Disney. O roteiro é simples demais e pouco desenvolvido. E provavelmente, a animação 50 não vai ser a preferida de ninguém.

O visual de Enrolados é maravilhoso. A direção de arte e a fotografia estão de parabéns. Quando se assistir ao filme, se entende por que ele custou 260 milhões de dólares.
Um exemplo da qualidade visual da animação é o cabelo da Rapunzel, que é muito bem trabalhado, e a linda cena dos balões, que encanta pela beleza e realismo.


Enrolados, na tentativa de agradar os meninos, os diretores tentam fugir dos estereótipos de contos de fadas criados pela própria Disney. A começar pelo título Rapunzel que foi modificado para Enrolados. E a protagonista (Rapunzel) consegue se sair muito bem como nova Princesa da Disney: Ela é interessante, bastante curiosa e esperta. Rapunzel é como uma adolescente descobrindo o mundo; e a voz de Mandy Moore na versão original, tornou Rapunzel ainda mais moderna. 

Assim, Rapunzel se torna uma princesa que vai fazer as meninas se identificarem com ela. Mas como eu disse, a Disney quer tornar os filmes de princesas mais ''bem aceitos'' pelos meninos. Por isso, a historia é narrada por Flynn Rider, numa tentativa de diminuir o feminismo do longa: O que acaba não dando muito certo, já que a narração de Zachary Levi soa forçada e desnecessária.

Vale citar que em português Flynn Rider foi dublado por Luciano Huck. Que infelizmente é um péssimo dublador, e faz um trabalho extramente artificial e fora de contexto com o personagem. Por isso, é aconselhável assisti-lo legendado, se você quiser admirar o filme por um todo. Se você vê-lo dublado, provavelmente Enrolados vai perder um pouco de seu brilho, com a péssima dublagem de Luciano Huck. 



A animação dos personagens é ótima. Os animadores enchem os personagens de expressão, três jeitos e naturalidade; Isso não é nada novo, já que a perfeição na caracterização dos personagens, é algo que diferiencia os animadores da Disney, dos desenhistas de outros estúdios. 

O romance de Flynn e Rapunzel, apesar de ser convincente, é ofuscado na animação pelo relacionamento de Rapunzel com Mamãe Gothel. Jogando com o psicológico, como Frollo em O Corcunda de Notre Dame, Gothel usa desculpas como ''Eu faço isso porque eu amo você'' para prender Rapunzel naquela torre; Assim, depois de anos sendo torturada psicologicamente para não sair, quando Rapunzel finalmente saí, ela fica feliz e desesperada por esta desobedecendo a mãe. Esta cena que mostra a complexividade no relacionamento delas é bastante divertida, e merece destaque. 

Enrolados é um musical, ou seja, mesmo se modernizando ao século 21, a Disney não se esqueceu  de suas raízes. Além do mas, o que e um filme de princesa sem músicas? 
E para fazer as canções, a Disney chamou o ganhador de 08 Oscars, Alan Menken, que fez a músicas de A pequena sereia, A bela e a fera e etc. A trilha sonora de Menken para Enrolados não é excelente como a de Aladdin, mais é doce e move a narrativa; Sendo destaque a canção ''I See The Light'' (Enfim, eu vejo a luz brilhar) indicada ao Oscar.




A Disney marcou a infância das crianças do século 20. Todos lembram que filmes como Cinderela e O Rei Leão, trazia algo chamado ''Magia Disney'' para suas vidas. Com Enrolados, o estúdio mostra que ainda tem aquela mesma magia de antigamente. 
Assim, a animação de número 50 é divertida e mágica, e apesar de não ser um dos melhores clássicos Disney, ele é moderno e satisfatório.

Nota: 8.0/10

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário