blog desatualizado por tempo indeterminado; editora sem tempo para postar.

sábado, 14 de janeiro de 2012

A Bela e a Fera

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
File: Beautybeastposter.jpg A Bela e a Fera é o 30º Clássico Disney, sendo o terceiro da Era Disney Renascença, lançado em 13 de Novembro de 1991.  O filme é baseado no conto de fadas de mesmo nome, escrito por Jeanne-Marie Le Prince de Beaumont, com roteiro de Linda Woolverton, e histórias de Brenda Chapman, Roger Alles, entre vários outros, e dirigido por Gary Trousdale e Kirk Wise, com produção de Don Hahn. As canções foram escritas por Alan Menken e Howard Ashman, que tinham trabalho anteriormente em A Pequena Sereia. 
A história gira em torno de um príncipe que por causa da sua arrogância e falta de amor, é transformado numa Fera, e numa jovem mulher chamada Bela, que acaba sendo aprisionada no castelo do príncipe. Para o príncipe se transformar em humano de novo, ele precisa amar Bela, e ela precisa corresponder seu amor, senão estará condenado a ser Fera para sempre. 
O filme foi um sucesso significativo tanto de crítica como comercial, tendo arrecado 403 milhões em bilheterias ao redor do mundo, além de ter vencido o Globo de Ouro de melhor filme musical/comédia, Melhor Trilha Sonora Original e Melhor Canção Original por ''beauty and the beast''. 

O New York Times disse que ''A Bela e a Fera é o melhor musical da Broadway, que não está na Broadway, e sim nas telas do cinemas''. O crítico Roger Ebert deu quatro estrelas para o filme em quatro, dizendo que A Bela e a Fera ''remota aos velhos tempos mais saudáveis de Hollywood, em que os melhores escritores, músicos e cineastas se envolve para criar um grande filme que funciona também como entretenimento'', Ele classificou A Bela e a Fera como o 3º melhor filme de 1991. 
Todo esta aclamação foi o suficiente para tornar A Bela e a Fera a primeira animação indicada ao Oscar de Melhor Filme. A animação recebeu um total de seis indicações ao Oscar's: Melhor Filme, Melhor Trilha Sonora Original, Melhor Canção Original três vezes por ''beauty and the beast'', ''be our guest'' e ''belle'' e Melhor Som, tendo vencido nas de melhor trilha sonora e melhor canção original por ''beauty and he beast''.


Depois de Branca de Neve e os sete anões, Walt Disney considerou A Bela e a Fera como o novo longa-metragem do estúdio. Mais a ideia foi abandonada por ser um desafio para a equipe de historia. E o artista Hean Cocteau fez a sua versão do conto em 1946, o que desanimou Walt Disney.
Décadas depois o projeto é ressuscitado em 1988, como um filme de animação. Richard Williams que dirigiu partes animadas de Uma Cilada para Roger Rabbit, foi chamado para dirigir, mais este não aceitou para prosseguir com o seu projeto de animação ''O Ladrão das Arábias''. Em seu lugar, Willliams recomendou o seu amigo e diretor de animação, Richard Purdum, que começou a trabalhar em A Bela e a Fera junto com o produtor Don Hahn. A Bela e a Fera seria uma animação não musical, e se passaria na França na era vitoriana. 
A pedido do então CEO Michael Eisner, A Bela e a Fera foi a primeira animação da Disney a ser escrita em forma de roteiro. Algo em incomum nas animações, que em sua maioria são desenvolvidas em forma de storyboards não com um roteiro. Linda Woolverton escreveu a versão original da história, e depois o storyboards começaram, com Linda trabalhando com a equipe de história para reequipar e desenvolver o filme.

 (Jeffrey Katzenberg vendo os storyboards com Roger Allers)

Ao ver os rolos dos storyboards inicial, o então presidente da Walt Disney Studios, Jeffrey Katzenberg, ordenou que o filme fosse demolido e começassem do zero. Alguns meses depois do reinicio, Purdam renunciou como diretor. O estúdio havia abortado Ron Clements e John Musker para assumir a direção, mais estes rejeitaram pós estavam ''cansados'' depois de terem dirigido recentemente A Pequena Sereia. Assim em seguida, a Disney contratou os diretores Kirk Wise e Gary Trouslade, que tinham dirigido um curta metragem para uma atração da EPCOT no Walt Disney World. 
Depois, Jeffrey perguntou aos compositores Howard Ashman e Alan Menken, se eles podiam fazer um musical no estilo Broadway com A Bela e a Fera, do mesmo modo que fizeram com A Pequena Sereia.
Ashman, tinha descobrido recentemente que estava morrendo de Aids, e estava trabalhando no seu projeto de estimação, Aladdin, do qual ele foi compositor e produtor executivo, por isso, foi relutante em aceitar entrar na produção de A Bela e a Fera. 
Para acomodar a saúde debiltada de Howard Ashman, a produção se transferiu de Londres, para Nova York, perto da casa de Ashman. Na cidade, Howard, Menken, os diretores, Kirk e Gary, o produtor Don e a roteirista Linda, deram reinicio ao roteiro do filme.                                    
                                                                                                         Howard Ashman e Alan Menken

Como na história original só havia dois personagens principais, os cineastas acrescentaram novos personagens na forma de objetos do palácio encantado para ''adicionar o calor e a comédia  a uma história triste, e orientar o público através do filme'', e  acrescentaram também um ''verdadeiro vilão'' Gaston. Estas ideias foram um pouco semelhante a versão francesa de 1946, do conto A Bela e a Fera, que também havia um pretendente para Bela, muito parecido com Gaston, além de objetos inanimados que ganharam vida no castelo da Fera. A diferença é que no filme da Disney, os objetos ganharam personalidades distintas. 
Depois do roteiro ter sido aprovado por Jeffrey Katzenberg, em 1990 storyboards recomeçaram, e os artistas da Disney voavam da Califórnia até Nova York, para que os storyboards fossem vistos por Menken e Ashman. Mais na época, não foi lhes informado o motivo das viagens.
Assim, a animação foi desenvolvida na Califórnia, enquanto as músicas foram gravadas em Nova York. 

''Belle'' foi a primeira composição de Ashman e Menken para A Bela e a Fera, ainda no processo de pré-produção. Durante o curso da produção, muitas mudanças foram feitas na estrutura do filme, que implicou na substituição e na re-destinação das músicas. 
''Human Again'' foi retirada do filmes antes da animação ter começado, por que a sua letra causou problemas em que linha do tempo a história se passa. Assim, Ashman e Menken escreveram ''Something There'', em que a Fera e a Bela cantam de sua crescente afeição uma pelo outro. Mesmo assim, ''human again'' foi adicionada a versão da Broadway de A Bela e a Fera, e também numa nova sequencia especial na versão em DVD do filme em 2002. 
A versão pop da canção-tema ''Beauty and the Beast'' cantada por Celine Dion e Peabo Bryson durante os créditos finais, se tornou um hit em vários rádios em 1991, e acabou dando fama a Celine Dion que não era tão conhecida na época. 
A trilha sonora é o ponto alto de A Bela e a Fera, e os votantes do Grammy reconheceram isso, tanto que a trilha sonora de A Bela e a Fera, foi indicada a oito Grammy's: Álbum do Ano, Melhor Álbum para as   Crianças, Melhor Pop Performance Instrumental, Canção do Ano, Gravação do Ano Melhor Pop Performance de um dueto ou grupo, Melhor Composição Instrumental para um filme e Melhor Canção escrita para um filme ou televisão. (as vitórias estão sublinhadas)

Alan Menken 
Howard Ashman, que já teve uma postagem aqui no blog, morreu 8 meses antes do lançamento do filme, e na época, estava trabalhando nas músicas de Aladdin com Alan Menken, que foram terminadas por Tim Rice. Foi feita um dedicatória a ele nos créditos finais de A Bela e  Fera.




A Bela e a Fera  se tornou a segunda animação a usar CAPS, um sistema criado pela Disney em conjunto com a Pixar, com o objetivo de digitalizar a tinta, e pintar a animação tradicional no processo de pós-produção. O software permitiu uma ampla gama de cores, bem como o sombreamento suave e efeitos coloridos para os personagens, técnica que a Disney tinha perdido quando abandonou  o uso da xerografia no final de 1950. O exito do CAPS principalmente na cena do baile, animou os executivos a trabalhar com a animação computadorizada. 
As vozes originais são de Paige O'Hara como Bella, Robby Benson como a Fera e Richard White como Gaston. Bella foi animada por James Baxter, a Fera por Glen Keane e Gaston por Andreas Deja.



Depois do sucesso em 1991, A Bela e a Fera foi para os palcos da Broadway em 1994, foi lançado em DVD em 2002, além de relançado no cinema em IMAX,  e em 2011 foi lançado em uma incrível Edição Diamante em Blu-Ray e DVD,  com a imagem remasterizada para uma alta qualidade além de bônus especiais.
O sucesso do relançamento nos cinemas em 3D de O Rei Leão, deu forças para a Disney também relançar A Bela e a Fera em três dimensões nos cinemas, depois de 21 anos.
Nos Estados Unidos a re-estreia do clássico aconteceu em 13 de Janeiro, com grandes elogios pela qualidade da conversão em 3D. No Brasil, o relançamento chega no mês que vem, em 03 de Fevereiro.
Então você já sabe: Prepare os bolsos para ir aos cinemas rever este eterno clássico em três dimensões!







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Ahzura's Blog abre o circuito de postagens 2012 com o Zine "En la playa con los amigos"

    Que esse ano muitas coisas boas aconteçam para nós!

    Ahzura's Blog

    ResponderExcluir